RESENHA: CISNE NEGRO


Cisne Negro é suspense psicológico que conta a história de Nina Sayers (Natalie Portman), uma bailarina que almeja o papel principal na próxima obra teatral de sua companhia de balé, que será O Lago dos Cisnes, sendo que para tal, ela precisará atuar tanto como o Cisne Branco, que representa a inocência, quanto como o Cisne Negro, o gêmeo do mal, que representa a sensualidade, sendo o segundo muito mais exigente e demandando muito mais fisicamente do que o primeiro, e para isso ela terá de convencer seu diretor teatral Thomas Leroy (Vincent Cassel) de que ela é perfeita para desempanhar ambos os papéis, porém surge uma nova concorrente para tais papéis, Lily (Mila Kunis), uma bailarina que é o oposto de Nina em todos os sentidos, principalmente por Lily ser mais extrovertida e despojada, ela poderia interpretar ambos os papéis, mas Nina está disposta a dar o melhor de si para que Lily não tome o seu lugar.
Dirigido por Darren Aronofsky (O Lutador), Cisne Negro têm como objetivo explorar a obsessão do ser humano pela perfeição e pelo controle, usando a figura de Nina para tal propósito, uma menina frígida que sofre de alucinações visuais e sintomas psicóticos, além de paranóia, e que irá agravar-se com o desenrolar da história, tornando tudo mais claustrofóbico e até mesmo sobrenatural.
Destaque para Natalie Portman como Nina em um dos melhores papéis de sua carreira, no qual podemos perceber o quanto fisicamente ela se doou para tal e, logicamente para a direção de Aronofsky que, com sua direção única, consegue nos colocar dentro da história sem soar forçado em momento algum e nos faz questionar se o que estamos vendo está mesmo acontecendo ou é tudo um sonho, pesadelo, ou ilusão.
Nota: 10
These icons link to social bookmarking sites where readers can share and discover new web pages.
  • Digg
  • Sphinn
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Mixx
  • Google
  • Furl
  • Reddit
  • Spurl
  • StumbleUpon
  • Technorati

One Response to this post

  1. Queiroz on 28 de abril de 2011 18:27

    Mila Kunis fazendo sexo oral na Natalie Portman, essa cena daria um ótimo curta.

    A Natalie não interpreta tão bem desde V de Vingança, impressionante sabe.

    Claro que foi vendido de uma maneira para ser de outra, mas esse é outro problema.

    E destaque para Winona que manda bem.

Leave a comment